quem-deve-evitar-o-cafe

Quem deve evitar o café

Normalmente, quando falamos de café, pensamos em conforto, hospitalidade e descanso. Mas, por se tratar de uma bebida estimulante, que acelera nosso metabolismo, existem algumas situações que tornam recomendável evitar o café.

Isso pode ser em função de idade, de gravidez ou, até mesmo, por alguma questão de saúde. Nestes casos, é sempre recomendado evitar ou consumo ou partir para as opções descafeinadas, uma vez que é a cafeína, e não o café, que causa a maior parte destes impactos no corpo humano.

Confira as pessoas que normalmente recebem a recomendação de evitar a bebida: 

Pessoas com arritmia

Se você costuma tomar café, certamente já sentiu seu corpo “acelerado” após tomar uma xícara a mais do que de costume. Essa aceleração no metabolismo é real, e pode impactar na aceleração do ritmo cardíaco.

Em geral, isso não é nenhum problema relevante para o organismo. A situação muda para pessoas com arritmia, que consiste em uma disfunção na frequência cardíaca. Com a aceleração do metabolismo e, por consequência, a frequência cardíaca, as chances de que algum problema cardíaco aumentam. É por isso que pessoas com arritmia normalmente devem evitar o café, ou reduzir muito seu consumo.

Pessoas que sofrem de ansiedade

Provavelmente o público que busca mais ativamente evitar o café é quem sofre de ansiedade. A lógica é bastante simples: o café é um estimulante, capaz de aumentar os níveis de atenção e vigilância, o que pode impactar no nível de estresse e ansiedade de pessoas já propensas a sofrerem com isso.

Por isso, recomenda-se uma redução significativa na quantidade de cafeína ingerida por essas pessoas, ou até mesmo evitar o consumo da substância. A recomendação é válida não apenas para o café, mas também para chás e bebidas que contenham a cafeína em alta concentração em sua composição.

Pessoas com dificuldade para dormir

Por ser uma bebida estimulante, o café pode dificultar ainda mais a vida de quem sofre com insônia. Por isso, é muito comum que pessoas com problemas para dormir escolham evitar o café.

Para quem tem este tipo de dificuldade, mas não quer abrir mão de um bom cafezinho, a dica é controlar quantidades e horários de consumo: consumir uma boa xícara pela manhã ou no início da tarde terá efeitos muito menores em relação à qualidade do sono, uma vez que o tempo de ação da cafeína no corpo é limitado a algumas horas.

Crianças

Como o café gera alterações significativas no metabolismo, a quantidade tipicamente consumida para um adulto pode gerar um efeito muito mais forte quando consumida por uma criança.

Além disso, o consumo de longo prazo pode gerar impactos no metabolismo e no desenvolvimento, considerando a mudança de estímulos. Por isso, o ideal é evitar ou disponibilizar quantidades verdadeiramente reduzidas: como a diluição em leite, por exemplo.

Mulheres grávidas

Existe uma discussão bastante longo sobre as quantidades seguras de consumo de café para mulheres grávidas. Em função da dificuldade de realização de testes sobre o assunto, muitas pessoas preferem simplesmente evitar o café durante o período.

Polêmicas à parte, o importante é seguir as orientações do médico ou médica responsável pelo acompanhamento da gravidez e, caso seja permitido consumir café, fazê-lo em quantidades moderadas.

E você, passa ou já passou por alguma dessas situações? O que você fez: abandonou de vez, buscou um descafeinado ou achou o famoso “jeitinho” para burlar a proibição? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!

Tema Fooding por FRT