Montando equipes valorizadas: o que o café fala sobre sua gestão?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Email -- Google+ 0 0 Flares ×

O processo de ficar planejando e montando equipes valorizadas é um grande esforço, mas se traduz em enormes benefícios quando dá certo. Quando criamos uma equipe, queremos que os melhores trabalhem conosco e, claro, queremos que eles permaneçam por um longo tempo como parte do time.

Nessa busca pela sensação de valorização e satisfação, vale de tudo: das folgas aos vales, cada um tem sua receita para manter o mercado de trabalho interessado em sua empresa. A função desse artigo é dar uma ideia a mais para a receita: investir em um café de qualidade.

Parece inusitado? Não para quem realmente investe nos colaboradores. Hoje, as maiores empresas já contam com máquinas profissionais de café, pois entendem que isso reflete na satisfação da equipe, que, por sua vez, se reflete em redução de rotatividade e atração de novos funcionários.

Saiba mais sobre o assunto em nosso artigo a seguir:

As conversas de bar: o verdadeiro medidor de felicidade de uma equipe

Se você já investiu uma boa quantidade de tempo montando equipes, certamente sabe que nem tudo se resume ao salário proposto para o colaborador. Existe um elemento subjetivo que se constrói coletivamente no mercado de trabalho, por meio de conversas, almoços, reuniões e, claro, as mesas de bar.

Você que está lendo este artigo já deve ter participado de algumas dessas mesas. Seja em um happy hour ou em alguma ocasião social com pessoas do mesmo mercado, comentar sobre aspectos da empresa é quase inevitável. Aproveite essas situações para entender quanto as pessoas sentem que suas empresas buscam valorizar seu trabalho.

Isso vai das questões principais, como salário e benefícios, até questões muito mais simbólicas, como é o caso do café. Por trabalhar no setor, ouço com muita frequência conversas sobre o tipo de café que as empresas oferecem, e quanta satisfação ou insatisfação isso gera.

Mas alguém vai escolher trabalhar em minha empresa só por causa do café que eu sirvo?

A menos que o colaborador em questão seja profundamente apaixonado por café, é improvável que esse seja o fator determinante para que ele decida trabalhar para você. Mas o ponto não é esse: o café é um gesto. É simbólico, mas apresenta muito efeito na forma como os colaboradores se sentem, e, consequentemente, em como potenciais colaboradores enxergam sua empresa.

É uma questão simples: o café não está entre os custos mais relevantes de uma empresa. Se, mesmo assim, a empresa decidir economizar cada centavo possível com o café, adquirindo o mais barato do mercado em detrimento da qualidade, a sensação que a equipe tem é de que não existe qualquer preocupação com o ambiente de trabalho.

Como mencionamos no tópico anterior, esse tipo de informação é repassada, e afeta muito a imagem da empresa. Por outro lado, um bom café costuma gerar elogios, e ajuda a construir uma imagem positiva no mercado de trabalho, que se acumula subjetivamente em potenciais colaboradores futuros.

Quer saber mais sobre o assunto, ou entrar em contato com nossos consultores para receber dicas de como utilizar o café como um diferencial para sua equipe? É só clicar neste link e falar conosco!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Email -- Google+ 0 0 Flares ×